BANDOLIN - SEM LICENÇA AMBIENTAL

Prefeitura lacra empresa vencedora de licitação de marmitas para presídios de Porto Velho

Bandolin, que deveria atender os presídios da capital teve obra embargada por irregularidades

13/07/2012 - 13:05:00 - O OBSERVADOR - Matéria Visualizada Vezes

mudar cor mudar tamanho

Uma licitação superior a R$ 16 milhões/ano do governo doEstado teve como vencedora a empresa Bandolin, de Bauru (SP). Ela vai fornecer refeições (marmitex e café da manhã) a vários presídios de Porto Velho avalores incompatíveis com a realidade, segundo técnicos e pessoas ligadas à área.

 
A empresa estava se instalando na Avenida Amazonas, em Porto Velho, e teve a obra embargada pela prefeitura, por irregularidades.

A Bandolin venceu a licitação realiada pela Superintendênciade Licitações (Supel) em Rondônia com o preço de R$ 1 pelo café da manhã,composto de dois pães (50g cada) com margarina e embalados além de 300 ml deachocolatado ou café com leite.

O marmitex tem o custo de R$ 4 (arroz, feijão, macarrão ecarne de dois tipos: branca e vermelha, servida em dias alternados). A salada tem que ser apresentada em embalagem em separado.

Participaram 22 empresas de Rondônia e de outros estados,mas nenhuma conseguiu “fazer o milagre da Bandolin”, disse um empresário.

A previsão de início do atendimento aos presídios deveriaocorrer após a segunda quinzena deste mês. Como a obra foi embargada, pordiversas irregularidades, sem documento (alvará, licença do CREA, licença ambiental, etc) a empresa não terá condições de iniciar o trabalho e exigirá providências do governo do Estado.

A obra foi lacrada pela prefeitura devido àsirregularidades. A área também não é industrial, portanto, ela não terá soluçãode continuidade. A quantidade de alimentação (cerca de 9 mil refeições/dia),sem tratamento de esgoto ambiental é problema para o meio ambiente, por isso a exigência de instalação em área industrial.

Para atender a demanda o consumo de óleo comestível, que émuito grande há vários cuidados ambiental. A empresa precisa se equipar e estarem área industrial para poder dar vazão ao produto utilizado. É necessário umtratamento especial.


A diferença de pelo menos 20% em relação ao preço da maioriadas demais empresas participantes da licitação é questionável, segundo empresáriosda área que foram consultados pela reportagem. “É impossível atender um clientecom os preços aprovados pela Supel”, afirma um deles.

A Bandolin fornece refeições ao presídio estadual de Vilhena,só que o preço é outro e assim mesmo há reclamações dos presos. Em Vilhena omarmitex custa para o governo R$ 5.

Outro problema constatado na obra. Os funcionários queestavam trabalham no local, quando ela foi embargada, estavam se alimentando commarmitex na rua.


Da Redação

 

© O OBSERVADOR.com - 2012

Endereço: Rua José Bonifácio, N° 1295 - Bairro Caiari - Porto Velho - RO

Fone: 69 3221 9376 / Email: jornaloobservador@gmail.com

Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução, distribuição, comunicação pública e utilização total ou parcial do conteúdo desta página web, desde que cite a fonte.